segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Gente de cá, Gente de lá

Sobre o velho clichê Ano Novo, Vida Nova.

Dois mil e nove anos depois de Cristo é um ano que chegou com cara de esperança; com cara de novidade. Para mim, para você, para todo mundo.

Ano Internacional da Astronomia (você sabia?), que se traduz no conceito de "transmitir o entusiasmo pela descoberta pessoal, o prazer de partilhar conhecimento sobre o Universo e o nosso lugar nele e a importância da cultura científica"1. Assim também Obama chega à Presidência, com clima de renovação, com espírito limpo, com olhos abertos para o futuro. Uma nova era, um novo tempo que começa, inclusive para mim. Esse ano tem cheiro de novidade, de mudanças, de descobertas. Muita água pra rolar debaixo dessa ponte.

Com olhos abertos para o Futuro, mas com um rabo de olho para o Passado, hoje andei refletindo sobre a gente de todo o mundo que faz parte do meu mundo.

Dois mil e nove anos depois de Cristo, mas modestos vinte e três anos - quaaaaase vinte e quatro - depois do meu singelo nascimento, vejo quanta gente passou por aqui e acolá.

Amigos, namorados, ficantes, colegas de estudo, colegas de serviço, amigos de balada, gente que passou um dia ou dois, gente que fez sentido, gente que não fez. Gente que sobressaiu, gente que me marcou, gente de todo tipo. Gente alta, baixa, magra, gorda, careca, cabeluda. Personalidades variadas, todo tipo de signo humano.

Alguns amigos ficaram mais próximos, outros, mais distantes. A vida foi levando cada um para o seu canto, para a sua própria história, para o destino que lhes era atribuído.

Mas para dizer a verdade, eu amo gente demais nessa vida.

Tenho amor - amor mesmo - pelas pessoas que se encarregaram de formar o projeto de gente que eu sou hoje. Amei cada uma dessas pessoas quando as conheci e continuei amando todas elas, mesmo que à distância. Mesmo que eu não lhe veja sempre, que eu não tenha mais o seu número de telefone, que não lhe deseje feliz ano novo a cada começo. Eu tenho amor àqueles que fizeram parte da minha existência. Sou grata.

Um comentário que me fez ver por outro ângulo, um período que dividi com alguém, uma balada que foi única, o conhecimento que me foi transmitido, a partilha de vida - detalhes somados. Partilhei momentos da minha vida com muita gente, gente de cá e gente de lá. Gente que faz sentido no meu coração. Cada qual no seu canto, na sua direção, no seu próprio mundo, vocês fazem parte do meu também.

Mesmo que você não saiba, eu amo você. Obrigada.
E Felicidades no ano da esperança.
------------------------------------

11 comentários:

Paula disse...

alta, baixa, magra, gorda, careca, cabeluda...

Poxa, fiquei emocionada com a citação indireta de minha pessoa neste texto!

Paula disse...

Fico boba também de ver como os corações ficam moles em começo de ano... Tá amando todo mundo! Virou Jesus!!!

Cherrie disse...

Particularmente, Prima Amada, em qual dessas citações indiretas você prefere se enquadrar? =)

Cherrie disse...

Ah, sim, daqui a 1.985 anos haverá 2009 D.C.(Depois de Cherrie) =P

FábioE§¢orpïão disse...

Ta cheia de otimismo e amor, essa escritora ...

Eu quero saber à quantos tijolos dessa construção eu correspondo!

;-)

Beijo, meu bem!

Cherrie disse...

Meu bem, como boa estagiária que sou, obviamente, você faz parte de muitos tijolinhos! =)
Beijo!

André Pernambuco disse...

Vi o link do seu blog na comunidade Clube das Letras no orkut.

Belíssimo texto! Belíssimo blog! Concordo com suas palavras. A vida nos apresenta pessoas, situações, sentimentos todos os dias.
Cada qual ao seu jeito e tempo marcam nossa existência com suas contribuições.

Continue amando e escrevendo!
linkei vc no meu blog e acompanharei seus textos...

Um beijo
http://apspp.blogspot.com

João disse...

Parabéns pelo blog, ganhaste mais um leitor! :)

José Coriolano de Almeida disse...

Oi, passei rapidim por aqui (maldita pressa!) ainda assim me sensibilizou uma parte do seu texto em que você demonstra gratidão pelas pessoas que passaram pela sua vida.
Eu ainda não atingi ainda essa percepção, mas a leitura desse trecho me convenceu (sei lá porquê, não me pergunte)de que é possivel vivenciá-la e creio que isso me faria muito bem,

Obrigado,
e beijos
José Coriolano de Almeida

Peixoto disse...

Estão faltando textos novos. A Comunidade sente falta. Beijos. P.

anna érica disse...

querida, adorei seu blog.
sucesso nesse ano de esperança
bjusss