domingo, 20 de abril de 2008

A moça de 23.



Um dia a gente acorda, olha pro teto e descobre que os anos têm passado mais rápido do que gostaríamos.

Sabe quando a gente começa a perceber que estamos crescendo?
Quando a gente passa a sonhar com o registro de gás - e a marca dele - e ganha microondas como presente de aniversário. É, microondas não é lá o que toda garota espera.
Levanta no meio da noite, só pra ver se trancou a porta. Quando fazer supermercado é parte da rotina e você sabe qual é o melhor sabão em pó. Tem roupas separadas no armário: as de limpar casa e as de trabalhar. Sair: ato excepcional.
Quando a sensação do momento é a loja de pratos, xícaras de florzinha e almofadas. E a enceradeira Nimbus 2000? Caramba! Quando se sabe de cor as medidas de tooodas as janelas da casa, ao invés de saber os telefones de tooodos os gatinhos de cor e salteado. É quando chega sexta-feira à noite e tudo o que você quer ver é a sua cama - Balada? Que palavra é essa? E aí você descobre que ainda tem uma pilha de pratos sujos na pia. E aquela garrafa de vinho pela metade. Vale um trago.
Quando os seus problemas deixam de ser amorosos e passam a ser profissionais. É quando a sua vida não tem tempo suficiente para lembrar de ligar pro namorado. É quando, no táxi corrido de cada dia, a gente pede pra aumentar a hora do brasil, só pra ouvir as últimas notícias; Capricho, nunca mais.


Dos meus singelos anos, tenho algum medo da velhice.
E dirão: mas o que uma moça faz quando escreve sobre a velhice? Com que parâmetros?
E eu respondo: Com os parâmetros de vislumbrar o início e o fim de cada dia, com o parâmetro de não me sentir triste por envelhecer - talvez nostálgica-, mas por ver aqueles que tanto amo envelhecendo junto comigo.
Às vezes, tenho vontade de parar o tempo.
Sábio universo, que não atribui aos homens, o poder prematuro de mexer o tempo.
Tempo que vai, tempo que traz, tempo que voa e que ensina.
O presente de aniversário é a sabedoria de mais um ano de bem viver.

4 comentários:

Anônimo disse...

Sarah, minha filha amada. Que bom esse meio de contao que vc arrumou.Quanto à velice - que para vc está tão distante - para que se preocupar? Lembre-se, sempre há muitos porquês, os porquês são um saco sem fundo. Mas o importante é "para quê?". Hoje, já mais perto, vejo que vou gostar do tempo futuro, para por minhas leituras em dia, escrever com tranquilidade, talvez ensinar um pouco. Coisas com as quais, se pudesse, eu teria gastado de bom grado os anos jovens. Mas antes, não tinha essa visão. Então, aguarde sem pressa. Uma vida linda espera por vc. Bjos. Pai

Anônimo disse...

Sarita, minha filha querida. Adorei ver o que você anda fazendo. Crescendo... e bem. Principalmente nos valores. A gente precisa primeiro aprender a cuidar de uma casa, para aprender a cuidar das pessoas, queridas ou não. A lembrar dos gestos e palavras das pessoas que fazem parte de nossa vida. Você, como sempre, começa mais cedo. Quero que você guarda estes textos para que possamos no futuro, juntar com os do seu pai, e publicarmos um livro. Um grande livro da Vida. Esta parte da vida é uma das mais importante para se conseguir LIBERDADE E PAZ. A gente aprende a tomar conta da gente mesma e descobre que é fácil, ainda mais tendo como suporte o amor das pessoas que voce também ama. Uma beijo e voce é muito especial!! Esta saudade que agora está sentindo, ajuda você a crescer... quando fui para Rondônia, deixei para trás, todas as pessoas que amava.Com isto aprendi que elas sempre estão junto da gente, apesar da distancia. O que importa é o sentimento de amor, que você tem sempre de nós. Beijos........ beijos.... linda!!!

Gustavo Bassini disse...

Ver você escrevendo, e bem, é uma alegria enorme. Adorei o moça do 23 e sei que qualquer coincidência é pura semelhrança! Parabéns, bjs!

Anônimo disse...

Oi Sarita,

estou com muita saudade de vc! Adorei seu blog, estarei sempre dando uma olhada!

Tenho novidades da itália! hahahahaha... Qdo tiver um tempinho me liga que retorno para te contar.

Qdo vc estará aqui em BH?

Onde será a sua prova da ordem? A minha será na FUMEC!

Mil bjos.

Kenya.