terça-feira, 22 de abril de 2008

É água ou é luz?

Hoje acordei, pacata, num feriadinho bom para dormir até mais tarde. Fui tomar banho e lavar o cabelo. E não é que, óbvio, com um banho de 30 minutos, caiu a força. Mas não caiu a força só do chuveiro, como é de costume. Caiu a força do apartamento inteiro! Desligou o som e as luzes não acendiam mais!

Pronto, danou-se, pensei eu. Cai a energia do prédio inteiro. Como se já não bastasse o barulho de secador de madrugada, eu desligo a luz de todo mundo em pleno feriado ocioso! Putz! Os meus vizinhos vão mesmo adorar essa ruiva descontrolada!

Vesti roupa e fui até à vizinha de porta. Toquei uma, duas vezes, e nada.

Aí veio uma velhinha, destrancando todas as mil fechaduras da porta (daquelas que fica dias e dias trancada dentro de casa - uma dessas que eu vou, provavelmente, me tornar: bebendo whisky até morrer e vigiando a vizinha com o amante latino. E, no fim, morrendo engasgada com o noque de domingo e sendo descoberta uma semana depois pelo odor nada agradável, quando, então, já estarei com meio rosto comido por meus cachorrinhos pequeneses - É, é triste a vida.)

Enfim, ela abriu a porta e eu, muito educada:

-Desculpe incomodar a senhora, é que a luz na minha casa caiu. A da senhora também?
E ela, com a voz fininha, bem fininha, e baixa:
-Não, aqui tá tudo bem.
-Então a senhora sabe quem é o síndico do prédio?
-Olha, eu conheço ele, ele é bonzinho, é um rapaz... mas eu não sei o apartamento dele não... nem o nome... nem o andar... ah, o nome dele é João... é, é João. É muito bonzinho. Mas aqui em casa tá com água sim.
-Não, acabou foi a luz lá de casa.
-Ah, sei... e você mora aí sozinha?
-Moro sim.
-Eu também moro sozinha, morava lá na roça antes. Hoje em dia todo mundo mora sozinho, né? Mas que bom que você veio morar aqui. Antes, morava um rapaz aqui, que me inibia, sabe? Porque eu gosto de tomar sol aqui na varanda e aí eu ficava inibida porque ele saia toda hora. (Falando baixinho) Eu acho que ele era desempregado, sabe? Porque ele saia o tempo todo. A gente achava que ele tava na rua e ele tava em casa, a gente achava que ele tava em casa e ele tava na rua. É, eu acho que ele era desempregado. Mas eu achei que fosse outra menina que morasse aqui, parecia mais alta...

(Você vê, a velha fica me espionando o dia inteiro.)


-Ah, mas é porque de salto alto a gente fica mais alta mesmo.
-É... mas toca na vizinha aqui de cima. Ela juntou os dois apartamentos, sabe... ficou muito bonito. O nome dela é... ah, eu não sei... o nome dela é... é Paula. Ela é muito boazinha também. Mas a água aqui em casa tá normal.
-Tá bom, Dona Orlinda, foi a luz que acabou, mas obrigada, eu vou tocar lá.

Fui eu tocar na outra vizinha boazinha, que me informou que o síndico era o vizinho da frente que, por sinal, não tinha campainha. Bati na porta. Veio um menino todo amarrotado. Perguntei se era o síndico e ele disse que era o pai dele. (Mas o síndico não era um rapaz??)
Contei sobre o meu problema e ele me disse que tinha que ligar a chave na garagem. Lá fui eu. Voltei pro apartamento: luzes funcionando, oba!

Entretida secando o cabelo, me toca a campainha: Dona Orlinda. Eu, descabelada, fui abrir a porta:

-Oi, Dona Orlinda.
-Oi, minha filha. Mas você conseguiu falar com o síndico?
-Consegui sim, Dona Orlinda.
-Ah, tá, é que se você quiser pode pegar água aqui em casa, que tem bastante. Não acabou não.
-Tá bom, Dona Orlinda, tá bom. Obrigada.

Comédia da vida privada. Mereço?

3 comentários:

Anônimo disse...

Vai ser com essa senhora, sua vizinha, que você vai tomar o café aí na sua casa, né?! Melhor amiga! Saudades!
Paula

Helena disse...

Descubro quem irá escrever minhas peças.
Esse vou usar na CAL.
Esse e o duelo entre a Pin up e o réptil.
Gosto desse. Gosto de todos.
Sobre o plágio ,supra citado, "sente-se e tome um café"(dante escrito em minha páginas de recados de um site de entreterimento), darei um desconto pela qualidade textual e criatividade.
Querida cúmplice,
Obrigada por encher de risadas a minha face pessegada. Minha cútis, que a muito não se enrrugava, encontra-se exausta de tanto exercício.
Beijos pelo vento!

Mick disse...

Então, terminaste não explicando. Já voltou a agua na sua casa?? Ou estás a pegar baldes de precioso líquido com prestimosa idosa vizinha???
beijo,
mick dundee